Uma rede social para dois, um negócio para o mundo

550 (3)

Limetree é um projeto de portugueses já com a raiz lá fora. Chega de atirar fotografias, vídeos e memórias para o baú. Crie a sua própria cápsula do tempo

«Isto não é uma rede social, é entre você e o seu filho». O aviso surge logo na homepage do site da Limetree. Ok, até pode lembrar uma rede social, mas é apenas para duas pessoas. «O que queremos dizer é que não é público. É privado. Não temos sequer definições de privacidade», disse à tvi24.pt Pedro Veloso, um dos fundadores. Jaime e outro Pedro completam a equipa.

«Somos todos pais e não estávamos satisfeitos com o que existia no mercado para guardar registos, fotografias, documentos sobre os nossos filhos. Nem com a forma como podíamos usufruir do que havia, sem qualidade. Ou tinha um cofre ou não iam chegar aos meus filhos e perder-se-iam ao longo do tempo».

Baú das recordações deixa de ter pó

Antigamente, os pais tinham não raras vezes «uma caixa de sapatos para onde iam atirando fotografias, trabalhos da escola, cassetes vídeo e, com sorte, no futuro os filhos iam descobrir essa caixa no sótão». A Limetree está a mudar esse paradigma.

A avaliar pelos mais de 16.500 gostos no Facebook, está a conseguir. Esta aplicação web e mobile permite colocar fotografias, vídeos, notas, legendas, «para nos lembrarmos que os nossos filhos, naquele dia, estavam a fazer birra a lavar os dentes ou estavam com colegas de escola».

Ou seja, a ideia é ir fazendo esses registos e a família poder usufruir deles ao longo do tempo. «Está a ficar guardado. Um dia, os nossos filhos vão crescer e vão ter acesso ao universo da memória deles».

A Limetree é, no fundo, uma «cápsula do tempo». E quem tem mais do que um filho pode direcionar os conteúdos, marcar uma data específica para que o filho possa ver ou receber o presente em casa.

Pedro dá o seu próprio exemplo: «Fiz um vídeo para cada um dos meus três filhos de quando cada um deles nasceu, em que registei pensamentos que tive naquele momento. Não voltei a revê-lo. A ideia é que eles o vejam quando tiverem 18 anos».

Em Portugal, mas para o mundo

O site é de portugueses, mas foi criado logo numa lógica internacional. Está disponível em inglês e em português do Brasil. «Quando tivermos capacidade para isso, teremos uma versão em Portugal e grátis para todos os portugueses. Hoje, o mercado nacional é de facto muito pequeno, o que nos obriga a olhar para outros».

Existem vários planos: um gratuito e outros pagos, consoante a capacidade utilizada.

Grandes ideias voam mais alto

O limoeiro (limetree) está a crescer. «Estamos agora a preparar-nos para ir novamente a uma conferência nos EUA e teremos ações de marketing lá e no Brasil».

Nasceram projetados para o mundo, em abril de 2012. O investimento inicial foi de 250 mil euros, mas a ideia é subi-lo para 500 mil. Querem desenvolver os mercados onde já atuam, sobretudo EUA, Reino Unido, Brasil e Portugal. Têm, no total, mais de 7 mil utilizadores.

Já receberam várias distinções e estão agora nomeados para o prémio The Europas, para melhor startup tecnológica da Europa.

O próximo passo, já para 2013, passa pela entrega física daquilo que os pais vão guardando. Transformar o baú num vídeo curto que seja representativo do crescimento das crianças e elaborar também um álbum com fotos. «O formato há-de evoluir», promete a Limetree.

Sabem que tiveram uma «grande ideia» e por isso decidiram atirar-se «completamente de cabeça». As expectativas estão a ser cumpridas. Querem ter uma palavra a dizer, ser «relevantes no mundo ocidental», onde se fala inglês, espanhol e português e onde nascem, por ano, quase 20 milhões de bebés (e isto sem contar com as pessoas que já têm filhos). Querem chegar a todos os pais. A todos os filhos. Estão a regar a árvore para que seja um abrigo para as vidas e memórias de todos eles.

Anúncios