Sobre

Foi entre números, que o Jornalismo das palavras se tornou profissão. Primeiro na Agência Financeira e TVI24.pt, em fevereiro de 2010. Lá trabalhei – e fiz amigos – até abril de 2013, como jornalista de economia.

Mas tudo começou muito antes. Foi quando escrevi aquele texto, no quarto ano da escola, folha de papel alaranjada, tamanho A5, em que a protagonista era a minha consciência, a minha memória, que as minhas mãos despertaram para a escrita. E gostaram de a cumprimentar.

Depois, os poemas e a mania de cheirar cada livro, cada revista, antes de folhear. O prazer de ler histórias. O prazer de contar histórias. As pessoas. Tanto que tinham. Tanto que eu poderia ajudar a contar. Sem muros. Ou com eles, mas espreitando cada lado da história.

Neste período, tive outras histórias a que me agarrar. Afastei-me do dia-a-dia da redação durante ano e meio para integrar um projeto de família, um negócio em crise, contribuindo para a sua reestruturação. Sempre com os olhos nas notícias e na reflexão sobre o Jornalismo.
Voltei. Tenho 28 anos, sou de Viseu e vivo em Lisboa. Voltei para a TVI24, a minha casa-mãe profissional.

Habilitações:

Licenciatura em Jornalismo pela Universidade de Coimbra e mestre em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social, com a tese “Jornalismo Económico: do jogo dos números à vitória das palavras”;

Pós-graduação em Gestão Empresarial, no Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG);

P.S. Tenho saudades da Rádio Universidade de Coimbra (RUC), onde tudo começou. E do Cenjor, onde cimentei o muro que vale a pena. Aquele que dá para saltar, ver o outro lado da história e abraçar o Jornalismo.